Manel Cruz, Beatriz Batarda e Ivo Canelas fecham o Cultura em Expansão 2019

O músico Manel Cruz, a atriz Beatriz Batarda e o ator Ivo Canelas preenchem o último fim de semana deste ano do programa Cultura em Expansão, que tem propostas de acesso livre em Miragaia, Campanhã e Pasteleira já nesta sexta-feira, no sábado e no domingo. O calendário de cerca de seis dezenas de eventos que o Cultura em Expansão promoveu ao longo de 2019 encerra com um programa tripartido pelos polos de onde irradiou durante o ano. E começa com o emblemático Manel Cruz, cuja carreira musical iniciou nos anos 90 com a banda Ornatos Violeta - com que aliás inaugurou recentemente o reabilitado Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota - e de que fizeram/fazem parte também
projetos como Pluto, Supernada e Foge Foge Bandido. Manel Cruz volta agora a apresentar-se à cidade, mas a solo, para um espetáculo na Igreja de São Pedro de Miragaia, a partir das 21,30 horas de sexta-feira, dia 13, no qual apresentará o novo álbum "Vida nova", em que interpreta temas novos e "clássicos" do seu percurso de 20 anos no mundo da música. "A Humanidade é a primeira virtude" No dia seguinte, pelas 21,30 horas, é a vez de Beatriz Batarda apresentar no Auditório de Campanhã "A Humanidade é a primeira virtude", que a própria criou de raiz para o Cultura em Expansão. Com este espetáculo de teatro, desafia o público a perder-se no mundo
que criou: "Penso no espectador como alguém que quer entrar num reino encantado, encandeado pela ilusão ou inebriado na estranheza. Alguém que deseja sentir-se engrandecido pelo meu gesto patético, e ao mesmo tempo ameaçador, quando me desdobro nas duas figuras: a atriz e a personagem. Entre as duas, dá-se a amplificação do não-dito, do não-explicado". "Todas as coisas maravilhosas" O encerramento na Associação da Pasteleira / Torres Vermelhas acontece no domingo, pelas 17 horas, com o carismático Ivo Canelas e o monólogo "Todas as coisas maravilhosas". O ator convida o público a participar, abordando de forma emocionante e com humor temas como a depressão, as crises existenciais, a família e o amor. Escrito por Duncan Macmillan e estreado no Fringe Festival, em Edimburgo, "Todas as coisas maravilhosas" é um hino à vida em que uma criança vai escrevendo uma lista de razões para viver,
com o intuito de tentar ajudar a mãe a recuperar de uma depressão, recordando assim o público para a importância de reconhecer e se deslumbrar com as coisas que o rodeiam.
Notícia publicada pelo Municipio de Porto






Ajude a divulgar!
Partilhe esta notícia no


Ou dê o seu like!